Museu de Zoologia João Moojen
Universidade Federal de Viçosa

João Moojen

Nascido em 1º de dezembro de 1904, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais, João Moojen formou-se em Farmácia na Universidade do Brasil, agora Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1925. Retornou a Minas Gerais, onde lecionou no Ginásio de Além Paraíba as disciplinas de História Natural, Ciências Naturais, Física, Química, Francês, Inglês, Geometria, História do Brasil e História das Civilizações, exercendo ao mesmo tempo a profissão de farmacêutico.

João Moojen na ocasião de sua formatura
(1928). Arquivo da Família Moojen.

Em 1933, João Moojen foi convidado para lecionar Zoologia e Biologia Geral na Escola Superior de Agricultura e Veterinária do Estado de Minas Gerais, atual Universidade Federal de Viçosa. Durante sua estadia em Viçosa, montou preciosas coleções, especialmente de aves. Foi chefe do Departamento de Biologia entre agosto de 1933 e dezembro de 1937, quando deixou Viçosa. José Cândido de Mello Carvalho, mais tarde um entomólogo reconhecido internacionalmente, foi um de seus alunos em Viçosa.

Em 1938, Moojen foi contratado como professor e chefe do Departamento de Biologia Geral e Zoologia da Escola de Ciências da Universidade do Distrito Federal. No ano seguinte, ingressou na Divisão de Zoologia do Museu Nacional, onde permaneceu em atividade até 1969. Entre 1945 e 1948 fez seu PhD na University of Kansas, nos Estados Unidos. Em 1950, tornou-se doutor em História Natural, pela Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil.

João Moojen foi professor e colaborador de diversas instituições, participando também de muitas expedições de campo. Publicou diversos trabalhos técnicos e científicos, incluindo a descrição de novos gêneros e espécies de roedores. Uma de duas obras mais conhecidas é “Os Roedores do Brasil”, de 1952.

Também um entusiasta dos cães, Moojen foi um dos primeiros a importar a raça Weimaraner para o Brasil, e chegou até a desenvolver uma ração especial para cães, chamada Karnol.

Professor Moojen faleceu em 1 de abril de 1985, no Rio de Janeiro. Diversos nomes científicos de animais lhe prestam homenagem, como o escorpião Bothriurus moojeni, a jararaca-do-cerrado Bothrops moojeni, os peixes do gênero Moojenichthys e o roedor Trinomys moojeni.

Mais informações sobre João Moojen podem ser lidas em duas biografias, publicadas nos Arquivos do Museu Nacional (faça o download aqui) e na Revista Brasileira de Zoologia (faça o download aqui).


 

João Moojen

Born in 1st December 1904, in the city of Leopoldina, state of Minas Gerais, João Moojen graduated in Pharmacy at the Universidade do Brasil, now the Universidade Federal do Rio de Janeiro in 1925. He returned to Minas Gerais, where he taught classes in Natural History, Natural Sciences, Physics, Chemistry, French, English, Geometry, the History of Brazil, and the History of Civilizations at the Ginásio de Além do Paraíba, while also working as a pharmacist.

In 1933, Professor Moojen was invited to teach Zoology and General Biology at the Escola Superior de Agricultura e Veterinária do Estado de Minas Gerais, now the Universidade Federal de Viçosa. During his stay in Viçosa, he began important specimen collections, especially of birds,. He was also the chief of the Biology Department from August 1933 to December 1937, when he left Viçosa. José Cândido de Mello Carvalho, later an internationally recognized entomologist, was one Moojen’s students in Viçosa.

In 1938, Moojen became a professor and the head of the Department of General Biology and Zoology at Escola de Ciências da Universidade do Distrito Federal. The following year, he joined the Division of Zoology at Museu Nacional, where he remained active until 1969. Between 1945 and 1948, he earned his PhD at the University of Kansas in the United States of America. He became a doctor in Natural History at the Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil in 1950.

João Moojen was a professor and collaborator at several institutions, and participated in many field expeditions. He published numerous technical and scientific papers, including the description of new genera and species of rodents. One of his best-known works is ‘Os Roedores do Brasil’ (The Rodents of Brazil), published in 1952.

Also an enthusiast of dogs, Moojen was one of the first to import Weimaraner hounds to Brazil, and even developed a special dogfood called Karnol.

Professor Moojen died on 1st April 1985, in Rio de Janeiro. Several scientific names of animals pay homage to him, such as the scorpion Bothriurus moojeni, the lancehead Bothrops moojeni, the fish of the genus Moojenichthys, and the rodent Trinomys moojeni.

More information about João Moojen can be found on two biographies published in Arquivos do Museu Nacional (download here) and Revista Brasileira de Zoologia (download here).